Blog da Suzane Carvalho

Arquivo : moto para viagem

Honda Goldwing #Recall
Comentários Comente

Suzane Carvalho

suzane_noticia_honda_gl1800_goldwing_2016

Honda convoca proprietários do modelo GL 1800 Gold Wing para substituição preventiva do sistema de airbag

A Moto Honda da Amazônia, pautada pelo seu princípio de respeito aos clientes, convoca os proprietários do modelo GL 1800 Gold Wing a seguir a comparecerem a uma das concessionárias Honda Dream, a partir de 01° de fevereiro de 2017, para a substituição preventiva gratuita do sistema de airbag.

suzane_noticia_recall_honda_goldwing_gl1800_2012_jan_2017

Em caso de colisão primordialmente frontal de intensidade moderada ou severa, situação em que o acionamento do sistema de airbag é esperado, poderá haver o rompimento da estrutura do insuflador e, eventualmente, ocasionar a projeção de fragmentos metálicos. Em situações extremas, o defeito pode causar, além de danos materiais, lesões graves ou até mesmo fatais aos ocupantes e/ou terceiros.

O procedimento será feito gratuitamente, conforme a data de início do atendimento. Para comodidade, antes de se dirigirem a uma concessionária Honda Dream, os clientes devem confirmar a necessidade de reparo no site www.honda.com.br/recallou na Central de Atendimento, pelo 0800-055-2221 (segunda a sexta-feira, das 09h às 17h – horário de Brasília). Os endereços das concessionárias Honda Dream em todo o Brasil podem ser consultados em www.honda.com.br/concessionarias.

 


Africa Twin, a nova big trail da Honda, já está sendo entregue
Comentários Comente

Suzane Carvalho

suzane_teste_honda_africa-twin_RDUR4595c_1200

Ela demorou para chegar, mas chegou brasileira. Finalmente andei na Africa Twin! Para quem estava bastante ansioso para testá-la, como eu, dois anos de espera foi muito tempo. Para a Honda, o tempo certo e ideal para  adequar a fábrica de Manaus, treinar pessoal, além, claro, de “nacionalizar” a moto para se adequar ao nosso combustível e ao PROMOT 4.4.2, lei de emissão de poluentes para os veículos de duas rodas. Por isso esse tempo entre o momento em que foi apresentada no Salão de Milão, o EICMA, em outubro de 2014 até o seu lançamento oficial no Brasil.

Após ler a matéria, não deixe também de assistir aos vídeos e ler a história da Africa Twin.

suzane_teste_honda_africa-twin_nov_2016_AAA_0141cTestei-a na região de Campos do Jordão, SP. Andei por serras bonitas com curvas tanto de alta velocidade quanto de muito baixa velocidade, no asfalto, em um total de 80 km. Na terra, percorri apenas outros 30 quilômetros e no plano, pois estava chovendo. Saímos em direção a Monteiro Lobato pela “Serra antiga de Campos”, depois seguimos até São Bento do Sapucaí e de lá voltamos para Campos do Jordão por uma serra que passa por Campista, SP-383, e indico a todo motociclista. Muito bonita mesmo e de baixa velocidade. Boa para passear e para praticar com sua moto.

A Africa Twin é a primeira moto “flagship” da Honda fabricada no Brasil, que é o único país fora do Japão que a produz. Isso quer dizer “moto topo de linha”. Até então, somente as Goldwing, VFRs e Fireblade, todas importadas, foram vendidas por aqui.

Ela é mais no estilo “magrela”, pois foi projetada visando ser utilizada mesmo no off-road. O aro 21 na frente confirma esta tendência. Vem com pneus para uso misto, de medida 90/90/21” na frente e 150/70/18” na traseira, e com o conceito “Go Anywhere”, mas nada impede que você os troque. As rodas raiadas reforçadas , que vêm na cor dourada, combinando com as bengalas, e a utilização de câmaras confirmam a vocação para terra e pedras. E por isso a nomenclatura CRF 1000L mesma sigla que todas as motos off-roads da Honda: CRF 450, CRF 230, e por aí vai… O que quer dizer “CRL”? Não tive uma resposta oficial da Honda, mas encontrei diversas versões na internet, como você pode encontrar.

AAA_1232b_1000
O meu guia neste test ride foi ninguém menos que o Jean Azevedo, multi campeão de rally, sobre duas rodas
e com experiência em 15 “Dakars”.

O ABS da Africa Twin pode ser desligado somente na roda traseira e com a moto parada. Mas é fácil: é só apertar o botão que fica à direita do painel. Os freios são compostos por dois discos flutuantes de 310 mm e duas pinças radiais com 4 pistões, cada, na dianteira. Na traseira, disco único com 256 mm.AAA_0050b_1000

O controle de tração, chamado de HSTC – Honda Selectable Traction Control, pode ser regulado em 3 níveis com a moto em movimento e também ser desligado totalmente. O botão fica no lugar onde costumamos ter o lampejador do farol alto (o lampejador fica no próprio botão do farol). O Jean Azevedo recomendou que utilizasse na posição “1” (menos controle) quando entrássemos na terra, pois se colocar no “3” (maior controle) e tiver que utilizar potência para subir uma ladeira, ela pode não entender se por acaso escorregar em uma pedra, pois o controle diminui temporariamente a potência da moto para o caso de chuva ou terreno muito escorregadio, como lama. Até aconteceu comigo durante o teste: eu achei que o motor estava falhando, mas eu havia desligado o motor pra esperar os colegas e quando religuei, ela voltou para o nível 3. Eu, na verdade, só ligo o controle de tração para testá-los nas motos, mas para andar mesmo, sempre deixo desligado. Acho que o piloto deve ter a sensibilidade para entender quanto e como acelerar; mas infelizmente não são todos que têm sensibilidade para tal e é por isso que as fábricas, tanto de motos quanto de carros, desenvolveram esta tecnologia.

suzane_teste_honda_africa-twin_nov_2016_AAA_0075bc_1000

Assim que estava saindo do hotel já senti o quão leve é a moto para fazer curvas de baixa velocidade. Basta pequeno toque no guidão e um joguinho de cintura para que faça os contornos mais fechados. É só você pensar em fazer a curva e sem nenhum esforço, ela já está indo na direção que você quer.

A suspensão traseira é do tipo pró-link, com ajuste de pré-carga da mola, que é fácil de ser mexido, e o amortecedor, que é único, da Showa tem 220 mm de curso. Já a suspensão dianteira, é possível ajustar com chave de fenda (eu ando com uma na pochete) a compressão e o retorno dos amortecedores Showa que têm 230 mm de curso assim como a pré-carga da mola. O garfo telescópico é invertido e tem 45 mm de diâmetro.
A altura mínima
do solo é de 25 cm.

suzane_teste_review-honda_africa-twin_motor

O motor é em dois cilindros paralelos com ignição a 270° somando exatos 999,1 cc. É SOHC, (Over Head Camshaft), UNICAM, ou seja, com comando único, que tem ressaltos para as válvulas de admissão e outros ressaltos que acionam os balancins roletados para as válvulas de escape. O objetivo é deixar o motor mais leve e tirar peso das extremidades.
Para tirar vibração, tem um sistema triplo de balanceiros com dois contra-pesos na árvore de comando para cada pistão. E outros dois no eixo superior.

São duas velas de ignição por cilindro. sendo duas delas, próximas às válvulas de escape para ajudar na redução de emissão de poluentes.
Ela tem o Cânister, que é um sistema de recuperação dos gases do combustível que são reaproveitados e com isso não são jogados na atmosfera. Funciona até mesmo com a moto parada: o combustível que evapora é captado e condicionado em um filtro de carvão ativo que, quando a moto é ligada, puxa o ar externo; e essa mistura é jogada de volta para o motor.

suzane_teste_review-honda_africa-twin_motor2

O cárter é seco, o que também ajudou na compactação do motor, e o arrefecimento é líquido, realizado através de dois radiadores.
A potência máxima é de 90,2 cv a 7.500 rpm e o torque, 9,3 kgf.m a 6.000 rpm. Corta por volta dos 9.000 rpm.
A relação diâmetro x curso do pistão é de 92 x 75,1 mm. Curso menor significa que sobe de giro rápido, pois a biela tem menos caminho a percorrer.
A relação de compressão é de 10:1 e a embreagem é deslizante.

AAA_1194bb

A aceleração dela é bastante rápida. Não deu para fazer um “de 0 a 100”, mas o torque é sentido logo que aceleramos. O número pode não parecer tão grande, mas junte a ele a relação de marcha curta, com transmissão final por corrente e a relação peso/potência da moto, que você terá excelente resultado.
Entrega de potência gradativa é uma das características das motos da Honda. É bem assim: quanto mais você pede, mais ela te dá. Se você pedir muito e de uma vez ela te dará. Mas se você quiser passear devagarinho por ruas de paralelepípedo ou na beira da praia,
não terá problemas para controlar a potência e será muito tranquilo fazê-lo.
O peso dela, vazia, é de 212 quilos.

AFRICA TWIN_63O chassi é em aço e do tipo berço semiduplo, em que o bloco do motor não faz parte da estrutura, para que não absorva impactos, no caso de uso extremo no off-road.

O painel é grande e bipartido. Fica praticamente na vertical e te dá informações como consumo instantâneo, consumo médio do trecho percorrido, velocidade média, dois odômetros parciais e cronômetro na parte de baixo. Conta-giros e velocímetro, mais o nível do combustível, ficam na parte de cima. Nas laterais, as luzes espia.

O tanque de combustível tem um desenho que vai até a parte baixa banco, centrando o peso geral da moto. Segundo o computador, o consumo médio do meu teste ficou em 16,1 km/l. O tanque tem capacidade para 18,8 litros sendo 3,6 da reserva. Aliás, as reservas normalmente dão autonomia para aproximadamente 50 km. Mas atenção: não tome isso como verdade absoluta, pois a qualidade do combustível e a maneira como você acelera, adicionadas à precisão do computador da moto, serão de fundalmental importância para que você atinja este número. Fazendo as contas, chegamos a um número de 302,68 quilômetros de autonomia.

AFRICA TWIN_157As luzes são todas em LED e os piscas ficam acesos todo o tempo, como luzes de posição (ou lanterna) juntamente com o farol baixo. Quando os ligamos para um dos lados, eles ficam mais fortes e, logicamente, piscando. Todo o conjunto chama bastante atenção, o que é super importante para estradas ou mesmo cidades.

O banco tem regulagem para duas posições: 85 ou 87 cm do chão e é fácil mudar, com a mesma chave da ignição. No vídeo eu mostro como.

Para abrir os maleiros também se usa a mesma chave. Para quem os utiliza em viagens, achei bem fácil e prático. Normalmente acho que as malas, tanto as laterais quanto o baú traseiro, atrapalham a aerodinâmica em curvas de alta e também em situações onde há muito vento lateral, mesmo em retas longas. Mas não senti esse incômodo durante o teste, mesmo alcançando uma velocidade máxima de 161 km/h, pois o vão entre a moto e as malas laterais é mínimo e não chega a formar um túnel de vento.

Teste Review  da Honda Africa Twin 2017

Teste Review da Honda Africa Twin 2017

Os protetores de mão e o protetor de cárter são de série.

Cores: a branca com as linhas em azul e vermelho e a vermelha com as linhas em branco e preto.

Acessórios:
Protetor do tanque: R$ 3.350,00
Top Box com encosto dorsal para o garupa: R$ 2.990,00
Malas laterais: 4.800,00
Parabrisa alto: R$ 990,00
Cavalete central: R$ 1.430,00

Preço:
R$ 64.990 a versão se
m as malas e com parabrisas menor. A que vem com os acessórios e mais a tomada 12 volts, chamada de “TE” – Travel Edition, R$ 74.990 o preço sugerido, base São Paulo, sem frete nem seguro.
A Honda oferece ainda 3 anos de garantia sem limite de quilometragem e o Honda Assistance 24 Horas, um serviço de emergência em que você pode ligar a qualquer hora, de qualquer lugar do Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile.

Links para o vídeo com meu teste completo e outro para um clipping do teste:



Curtindo a Ilha de Cananeia com a Honda NC 750X
Comentários Comente

Suzane Carvalho

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Cananeia é um dos maiores berçários de vida marinha do planeta

Parti para mais uma Moto-Viagem-Turismo-Aventura.

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

O destino desta vez não foi longe: Ilha de Cananeia e sua região, no extremo litoral sul do estado de São Paulo, aproximadamente 320 km da capital.  Lá, foi onde uma das primeiras naus da caravana portuguesa aportou.  E por causa das disputas com os espanhóis e franceses, logo foi estabelecida uma vila e o primeiro povoado oficial das novas terras. Novas para os europeus, porque os índios, há muito já viviam aqui.  Inclusive em Cananeia.  Mas parece que por lá, diferentemente do norte fluminense, os portugueses se aliaram aos índios.

Com a moto, uma Honda NC 750X, já abastecida, pneus calibrados, freios e luzes verificadas, mala amarrada e coberta por lona, e capa de chuva à mão, saí de São Paulo já às 14:45 hs.  A NC estava com 8.745 km rodados.  Gosto de pegar uma moto com a quilometragem mais avançada para testar, para poder analisar o desgaste das peças e, principalmente, suspensões.

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Peguei o Rodoanel para descer até a Rodovia dos Imigrantes. Nesse trecho, o movimento de caminhões é bastante grande.  Quando já começou a chover e tive que parar para colocar a capa.
Desci até o litoral paulista e segui para o sul, rumo a Peruíbe.  Nesse ponto somos obrigados a subir pela SP 101 até a BR 116, no trecho da Régis Bittencourt em Pedro Barros. Esse é o caminho que muitos fazem para ir para o sul, fugindo do eterno tráfego da Serra do Cafezal.

Tive sorte que a chuva parou enquanto entardecia.  É muito lindo pilotar moto enquanto o Sol se põe. Antes que escurecesse, parei para trocar a viseira por uma transparente e aproveitei para abastecer, pois não sabia se encontraria outro posto até meu destino.

suzane_viagem-teste_honda_nc750x_cananeia_71

Pilotar à noite requer maior atenção inclusive com as laterais

Para pilotar com segurança à noite, é preciso diminuir a velocidade e prestar muita atenção em saídas e cruzamentos, sem deixar de ter atenção nos retrovisores.  Não gosto de pegar estrada nessas condições, quando estou de moto, mas às vezes é preciso.  E como a SP-226 é em mão dupla, toda a atenção, inclusive para os lados, para ficar atento a prováveis animais saindo da mata, é importante.  Diminuir a velocidade e andar dentro do seu limite de visão é primordial.  Os faróis com lâmpadas de 55 W para o baixo e 60 W para o alto, da NC 750X, são ótimos.  A capa do farol é clara e isso faz com que a luz se propague melhor.
O painel é perfeito: números pretos com fundo branco, e em uma posição de fácil leitura, em que não é preciso abaixar a cabeça para ler.

DICA =>Para cruzar a estrada, olhar diversas vezes para os dois lados, pois não é impossível vir um bêbado ou um recém habilitado com os faróis apagados.

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Cananeia: Patrimônio Natural da Humanidade

Cananeia está em um corredor biológico de 110 km que se estende da foz do Rio Ribeira, em Iguape (SP), até a baia de Paranaguá (PR). É considerada um dos últimos remanescentes de Mata Atlântica intocada na costa brasileira e um dos maiores berçários de vida marinha do planeta. Tombada pela UNESCO como Patrimônio Natural da Humanidade, é um dos melhores roteiros ecológicos do mundo.  E, sem dúvida, excelente lugar para fazer trilhas e passeios de moto.  Tem até um moto clube local. A cidade encontra-se em uma área de proteção ambiental e conta com sítios arqueológicos, sambaquis, datados entre seis e quatro mil anos, e também com ruínas do período colonial.

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Portal de Cananeia

Cheguei no portal de Cananeia já às 18:30 e fui procurar um lugar para dormir.  São várias as opões de hotéis e pousadas e acabei optando por ficar na Pousada Villa de Cananea, bem no centro, pois fui atendida pelo dono, um biólogo que foi fazer pesquisas no local, e de lá não saiu mais.  Apesar de simples, é aconchegante e bem tratada.

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

O centro mantém o jeito de vila

As pedras utilizadas em sua construção são de fato portuguesas, pois foram tiradas do fundo do mar onde os navios portugueses as jogavam, já que traziam como lastro, para depois trocar por carga valiosa.

As opções de hospedagem são grandes e variadas.  É possível ficar em pousadas bem simples ou em hotel grande, com conforto.  A cidade é democrática para quem quer se deleitar com a natureza.

Fui jantar na Av. Beira Mar, em um restaurante francês bem ambientado.  As opões de restaurantes ali também são grandes, para todos os gostos e bolsos; e a gastronomia chega a ser destaque.

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Porto na Av. Beija Mar

No inverno o frio pode chegar a 5 graus centígrados e estava bastante frio quando fui. Pela manhã me dirigi ao píer que fica a apenas um quarteirão da pousada.

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Grudado a Ilha de Cananeia estão a Ilha do Cardoso, que é um parque ecológico, e a Ilha Comprida, além da Ilha do Bom Abrigo, onde fica o Farol da Barra.  Peguei um barco para a Ilha do Cardoso.  A navegação é pelo Mar Pequeno, canal entre as Ilhas Comprida e de Cananeia, passando pela Baía dos golfinhos, onde botos-cinza ainda nadam acompanhando as embarcações, o que muito me lembrou minha infância, quando existiam botos na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, acompanhando as balsas que atravessavam para Niterói.

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Ilha do Cardoso

É possível passar todo o dia e até acampar na Ilha do Cardoso, onde tem dois restaurantes, no lado que fica voltado para Cananeia.  Tem trilhas para todos os níveis, praias e cachoeiras.

Esta região de Cananeia é chamada Lagamar, reconhecido como um dos cinco maiores viveiros de espécies marinhas do mundo.

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

45 km de praia para passear com a NC 750X

2º DIA

Rumo a Ilha Comprida.  Basta pegar a balsa para fazer a travessia, que demora menos de 10 minutos.  Cruze a Av. Intermares e pronto! Você se deparará com 45 km de praia de frente para o Atlântico!  E livre para trafegar.  Para o norte, o Boqueirão.  Para o sul, a praia da Trincheira, de onde você pode apreciar e fotografar os botos. Emancipada há 23 anos, Ilha Comprida ainda faz parte da Área de Proteção Ambiental de Cananeia.

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Ilha Comprida

Foi ali onde me diverti de verdade com a moto.  É possível andar pela praia, junto ao mar, cortando os riachos. Sozinha, foi uma de minhas maiores aventuras, já que sou “menina do asfalto”.  Mas me senti totalmente à vontade andando em pé na NC 750X, que tem o centro de gravidade baixo e é fácil de manobrar.

3º DIA

Com frio e chuva, tirei o dia para conhecer a parte histórica da cidade.  Conversei com a historiadora Nana, que me contou muitas curiosidades locais.  Acostumada a receber turmas escolares, ela tem vasto conhecimento.

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Centro Histórico de Cananeia

 

Os casarios históricos padronizados são bem coloridos. Alguns se mantiveram como residência e outros viraram pontos comerciais.
Os canhões que estão na Praça Martim Afonso, foram trazidos pelos portugueses.

 

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Escavações arqueológicas na igreja de 1.517

Na Igreja São João Batista de Cananea, bem rústica, datada de 1.517, estão acontecendo escavações arqueológicas.

“A primeira cidade fundada no Brasil” se mantém com jeito de “Vila” e tem ainda, conforme dizem, as ostras mais saborosas do mundo.

A Cataia é uma planta local de onde é extraída e feita uma cachaça (que provei!). Ela fica curtindo durante apenas um mês e pode ter sabores variados como mel e canela.  É chamada de “Whisky da Praia”.

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Casas de veraneio

 

A MOTO

suzane_viagem-teste_honda_nc750x_cananeia_74c

Com banco a 83,1 cm do chão e altura mínima de 16,4 cm, a ergonomia dessa moto, para mim, é perfeita. No estilo Crossover, dá a impressão de que posso dar a volta no mundo, sem levantar nem cansar.  O tanque de combustível fica na parte de trás do chassi e com isso a moto ganhou um grande baú de 21 litros na frente, onde você pode guardar até capacete.

honda_nc-750x_2015_motorComo o torque a e potência máximos estão em uma faixa de giro baixa, o consumo de combustível é muito baixo para uma moto com um motor desse tamanho e chega a 30 km por litro, dependendo da maneira como você a pilote. Em velocidade constante, a 120 km/h ela fica a 3.600 rpm. Essa nova versão da “NC” tem motor com exatos 745 cm³, potência máxima de 54,8 cv a 6.250 rpm e torque máximo de 6,94 kgm.f a 4.750.  Esse torque máximo nessa faixa de giro baixa é que torna a moto mais gostosa de curtir, em quanquer situação, seja para driblar os carros nas cidades, ara ultrapassagem nas estradas ou para subir barrancos em passeios off-road. A relação diâmetro x curso do pistão é de 77 x 80 mm.  A compressão, 10,7:1.

honda_nc-750x_2015_bauMesmo com quase 10.000 km rodados de testes feitos por jornalistas, a moto não apresentou absolutamente nenhum desgaste e a suspensão estava perfeita.  A traseira é do tipo pro-link com 150 mm de curso e a dianteira, garfo telescópico com 153,5.  Apenas os pneus eram novos.

Na pista de testes, ela bateu os 190 km\h mas a reta acabou e não deu para ver a velocidade final.

O quadro é do tipo Diamond-frame em aço, e os freios, disco de 320 mm na frente e 240 mm na traseira.
Pneus: 120 x 70 x 17” na frente e 160 x 60 x 17” na traseira.
Freios: duplo disco com  320 mm na dianteira e 240 na traseira e opção de ABS.
Ela pesa 205 kg (mais 4 para a versão com ABS).

honda_nc-750x_2015_chassi

No total, rodei aproximadamente 1.700 km com ela.

Veja as velocidades máximas atingidas em cada marcha, na pista de testes:

64
96
126
151
175
6a190… e acabou a pista

Abaixo, o consumo.  Como o tanque de combustível tem capacidade para 14,1 litros, se você fizer média de 25 km com 1 litro de gasolina, a autonomia será de 350 quilômetros.
O tipo de gasolina colocado em cada abastecimento influenciará no rendimento seguinte.
O tipo de rodagem e a maneira de pilotar a moto influenciam diretamente no consumo.

KMKM RODADOSMÉDIALITROS$/LITRO$ TOTALGASRODAGEM
10/068.745—–—–—–—–—–não sei—–
16/068.95020517,9311,433,4539,43GridEstr Chuva
19/069.13028020,228,93,3929,69Comum
25/069.387não seinão seinão seinão seinão seinão sei
26/069.67729025,3411,443,5040,03Gridcidade
9.893216,118,17 (20,6)11,89 (10.3)3,5542,19Gridrpm máx
10.160267,123,4911,373,3938,53V-Powerestrada
10.354—–—–—–—–—–—–—–

Assista ao vídeo em que faço a apresentação técnica completa da moto, e comento sobre seu comportamento:

Veja aqui uma galeria de fotos completa: http://suzanecarvalho.album.uol.com.br/honda-nc-750x

suzane_viagem-teste_honda_nc750x_cananeia_73

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015

Viagem teste com a Honda NC 750X 2015


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>